NOTÍCIAS
20/06/2011 13:37:21
Imprimir
Crédito: Valdemiro Lopes

Criação de Centro Geriátrico Público em Salvador

Palhinha faz indicação ao prefeito João Henrique
Valdemiro Lopes

“Com o crescimento da população de idosos e da expectativa de vida da população brasileira torna-se necessário que o Estado se prepare para atender de forma eficaz aos cidadãos da terceira idade”, afirma Orlando Palhinha (PP). Essa realidade motivou o vereador a apresentar Projeto de Indicação de Nº 155/2011 que sugere ao Executivo Municipal a criação de um Centro de Saúde Geriátrica em Salvador.
O centro terá a responsabilidade de reunir profissionais médicos geriatras e toda a infraestrutura necessária para que a população soteropolitana, principalmente pessoas de baixa renda, seja atendida e orientada nesta fase da vida.
Palhinha lembra que “o aumento da longevidade expõe o cidadão a uma série de doenças provocadas pelo peso dos anos. Isso torna necessária a ampliação da cultura da prevenção e do acompanhamento da saúde dos cidadãos da terceira idade”.
O vereador ainda frisa que “as pessoas de poder aquisitivo mais alto já realizam as consultas com geriatras normalmente e, por isso, possuem uma qualidade de vida. Os cidadãos que dependem da estrutura de saúde pública encontram dificuldades para conseguir consultas com estes especialistas”.
Palhinha lamenta a qualidade do serviço público de saúde no Brasil. “Na teoria, o SUS seja referência em todo mundo, mas na prática, infelizmente, vivenciamos grandes problemas que sempre prejudicam a população mais carente”.
A criação de um Centro Médico Geriátrico, segundo o vereador, reduziria o agravamento de patologias que ocorrem da terceira idade. “Nossa população precisa investir na saúde preventiva em todas as fases da vida. Custa muito mais barato e evita grandes sofrimentos. Deve ser uma prática constante dos nossos cidadãos, principalmente na terceira idade”.
Palhinha lembra que é muito comum receber solicitações intermediação de consultas com profissionais desta especialidade feitas por famílias que não possuem poder aquisitivo para pagar um plano de saúde e que não conhecem os tramites a serem seguidos para conseguir este atendimento através do Serviço Único de Saúde.
Para Palhinha, o mais importante nesta proposição é a possibilidade de dar mais dignidade e conforto aos cidadãos que chegam à terceira idade. “Com fé em Deus, todos nós um dia vamos precisar de um geriatra”, concluiu.