Memorial

Voltar

Aspectos arquitetônicos do Paço Municipal

Aspectos arquitetônicos do Paço Municipal

O Paço da Câmara Municipal é dos mais importantes exemplares da arquitetura civil colonial brasileira. Sua fachada principal é formada por arcadas de pedra de cantaria, que repousam sobre colunas toscanas superpostas por 13 janelas de púlpito com grades de ferro.

No centro, acima da portada principal, há pequena torre recoberta por abobada de meia laranja, onde está instalado o sino de ferro, fundido em 1615. Sua planta se desenvolve em torno de um pátio central, onde foi aberta cisterna e colocada escadaria com degraus e corrimões revestidos de mármore. A escada dá acesso ao Salão Nobre e ao Plenário Cosme de Farias, que tem suas paredes ornadas por pinturas murais e forro de madeira, dividido em cinco painéis, quatro inclinados e um plano no centro.

Linha do Tempo

1549 – Construção da primeira Câmara de Salvador. Edificada a maneira dos índios com paredes de taipa e telhado de palha. Recebeu o título de Casa de Audiência e Câmara.

1551 – Reconstrução da Câmara feita de pedra e cal, coberta por telhas. Esta segunda construção recebeu a denominação típica portuguesa de Casa da Cadeia e Câmara. Ao longo dos anos e das necessidades que surgiam, acrescentaram-se novas dependências.

1660 – O Governador Geral do Brasil, Francisco Barreto de Menezes, ordena a construção de uma nova Casa da Câmara.

1696 - É reformada pelo governador D. João de Lencastro, que mandou construir a torre abobadada, com sino fundido em 1615, além de nova sala de audiência e novas salas de segredo.

1795 - O governador D. Fernando José de Portugal – Marquês de Aguiar, autorizou reforma quando foi construída a cadeia, enfermaria e a cisterna.

1888 – Em 1885, foi encomendado um projeto ao arquiteto baiano Francisco de Azevedo Monteiro Caminhoá para a realização de nova reforma do Paço, que ganha nova fachada, recoberta de decoração renascentista e gradis de ferro entre as arcadas. A antiga torre é substituída por torreão e o sino por relógio elétrico de quatro mostradores iluminados.

1894 - Na administração do presidente Freire Filho, completou-se a instalação de mármore do vestíbulo e corrimões da escada de acesso à sala da assembléia. Além disso, foram assentando degraus, também de mármore branco, na descida para o pátio interno.

1970 - Por determinação do então prefeito Antonio Carlos Magalhães, a fachada externa é restaurada e retorna ao seu estilo original colonial. Nessa época, a prefeitura também funcionava no Paço.

1998 - O presidente da Câmara, vereador Gilberto José, promove a restauração do Plenário Cosme de Farias.

2001 – São realizadas novas reformas no Paço e instalado o Memorial, que passa a ocupar o andar térreo da ala sul do prédio.

2006 - Restauração e resgate das pinturas murais do Salão Nobre da Presidência na administração do vereador Valdenor Cardoso.

2010 – Requalificação da Expografia do Memorial na administração do vereador Alan Sanches.

2013 - Inclusão de peças expográficas  para a “Valorização do Paço como Monumento Histórico” e requalificação de painel expositivo permanente.

2015 – Restauros realizados dos móveis, urna e maquetes;

2016 -
Restauro de 25 telas e obras de conservação e restauro do Paço Municipal (Salão Nobre, Plenário, telhado e fachada).
 

Paço Municipal

Paço Municipal

Paço Municipal

Paço Municipal

Paço Municipal

Paço Municipal